Publicado por: Rafael Lopes Krukoski | junho 4, 2010

Patrocínio de Rally e MKT

Vocês já devem ter visto tudo sobre as notícias do Sertões Series, que passou no último final de semana. Por isso vou escrever sobre algo mais abrangente. Ou tentar.

Algo que envolve mais que imagens e sensações:

Foto: Stepen Chahinian

Vou escrever sobre esporte e pessoas. E sobre como é impressionante: As diferentes reações sobre os mesmos temas.

Tema 1: Patrocínio

Algo que a nossa equipe mais escuta é o seguinte:

“Não há patrocínio para esse esporte. Esqueça.”

Não consigo abstrair o fato da mente. Mas fato é que o esporte pode dar resultados positivos em matéria de imagem corporativa. Mas não há cultura de patrocínio no Brasil. A não ser para futebol e alguns poucos outros esportes.

Mas veja a indústria movimentada pelo motociclismo mundial. Repare na quantidade de motocicletas vendidas no Brasil nos últimos anos e imagine o efeito disso quando o Brasil for a quinta economia do Mundo?

Será que está tão fora de cogitação assim?

Veja a quantidade de pessoas que trabalha para investir praticamente tudo que ganha em um esporte que não dá nenhum retorno tangível além do simples prazer da prática.

Tema 2: Pessoas

Sim há um grupo de obstinados como nós, que levam o esporte nas costas, até que esse desenvolvimento chegue onde queremos.

Essas pessoas constroem uma história única, e praticamente sem retorno financeiro além do prazer puro de fazer o que gosta. Garanto que para poucas pessoas é tão fácil responder uma simples pergunta:

O que você fez na sua vida que faz você dizer que está feliz em ter essa vida?

Poucos conseguem responder essa pergunta sem pensar muito a respeito. Muitos sequer acharam a resposta…

Esse pessoal maluco que anda de moto, compete, ou está em volta de quem faz; certamente responde a pergunta sem pestanejar. E são esses que se identificam com marcas que investem no esporte.

Tema 3: Público Alvo e os Modelos de Conduta

Então talvez a empresa pense: “Mas o que isso tem haver com o meu produto ou com o meu serviço.”

Talvez nada, mas a identificação do seu público com o Modelo de Conduta deve ser avaliada. Ou, a associação do esporte com a marca.

O Corinthians gera um bom caso de estudo sobre os efeitos do marketing atual.

http://hsm.updateordie.com/marketing/2010/06/camisa-do-corinthians-vale-aula-de-marketing/

O patrocínio é uma das ferramentas de Marketing mais conhecidas. Em teoria, as marcas que decidem dedicar uma grande verba para aparecer em algum “acontecimento” têm dois ganhos: o da EXPOSIÇÃO (que contribui para a lembrança da marca) e o da ASSOCIAÇÃO com o conteúdo que está envolvido no patrocínio (o que ajuda a construir equity).

Recentemente o Corinthians decidiu aceitar um número bem maior de patrocinadores em sua camisa para arrecadar mais recursos. Mas… o que será que isso causa em termos de retorno às várias marcas que agora dividem o mesmo espaço?

Li um post interessante no blog Erros de Marketing que achei interessante compartilhar:

1) NEO QUÍMICA: uma marca de medicamentos genéricos. Antes de analisar se essa marca deveria estar aí, vamos dar um passo atrás: qual é o modelo de negócio de uma empresa de genéricos? Trata-se de uma empresa farmacêutica que consegue praticar preços aproximadamente 35% mais baixos que os medicamentos de referência porque não têm gastos com pesquisa/desenvolvimento e propaganda, afinal é um “genérico”. Mas a competição e a ambição neste mercado aumentou e nasceu esta anomalia: marcas de produtos genéricos que querem se diferenciar. Já que a concorrência investe pesado nos médicos e nos balconistas de farmácias, a Hypermarcas decidiu dar a essa marca o melhor espaço no uniforme. É assim que eles vão querer ganhar da recomendação dos farmacêuticos?

2) BOZZANO: Quando a Hypermarcas comprou esta marca, já tinha em mente o plano de entrar no mercado de lâminas de barbear, dominado pela Gillette. Para provocar a marca líder, que é curiosamente comercializada pela “Procter & Gamble americana” e tem contrato mundial com o jogador Kaká, eles contrataram o Ronaldo e colocaram a marca nas mangas do Timão. Como resposta, a Gillette fechou um patrocínio bem maior com a seleção brasileira para a Copa do Mundo. E Ronaldo não foi convocado.

3) ASSIM: A marca irmã da Assolan foi “estrategicamente” posicionada na clavícula dos jogadores. Além de ter uma leitura prejudicada, sofre de um problema grave: dispersão (apesar de muitas mulheres gostarem de futebol e muitos homens ajudarem na casa, o fato é que a grande maioria dos espectadores de futebol ainda é formada por homens e a maioria das decisões de compra de sabão em pó é feita pelas mulheres).

4) AVANÇO: O desodorante que foi construído em cima do chavão “Com Avanço, elas avançam” agora está posicionado nas axilas do time do Corinthians. Esta posição garante que a marca apareça quase que somente no momento do gol, o que é até interessante. Mas… será que você gostaria de ter o “cheirinho” de jogador suado? O produto entrega toda essa “proteção”?

5) BANCO PAN AMERICANO: A única marca que não é da Hypermarcas está posicionada na borda da camisa. Por regra, esta parte do uniforme tem que estar colocada, obrigatoriamente, para dentro do calção. Na prática, sabemos que a exposição vai acontecer. Ok, vou então investir neste banco… afinal, todos os bancos que já estiveram na camisa do timão são confiáveis. Ops… o último banco que patrocinou o Corinthians (Excel Econômico) quebrou.

Qual o ponto de falar tudo isso?

Onde nossas imagens podem causar um efeito positivo para a sua empresa?

O Brasil deveria ter um foco esportivo mais abrangente. Ainda que a sua empresa não produza nada relacionado ao Rally. Há várias estratégias de marketing capazes de estimular a associação  entre o esporte e a sua marca.

Foto: David Santos Jr.

Então, pensa se a sua estratégia está funcionando. Ou, se algo diferente pode ser feito.


Responses

  1. gostei muito do artigo sobre patrocinio, sou amante do esporte e financio minh apaixao desde quando começai a uns 10 anos. Hoje estou elaborando um projeto de patrocinio que enviarei aos meus principais clientes, visando levantar o valor referente as minhas despesas do ano com enduros e trilhas. Vamos ver no que vai dar. Caso ainda existam mais artigos sobre o assunto adoraria receber.

    Att.

    Glaucio Vieira

    • Boa Noite Glaucio

      A RLL Rally fica feliz em ajudar. Não tenho mais nada pronto, mas tenho muita coisa em andamento, caso queira trocar idéias o email está à disposição.

      Abraço!

  2. Olá queria saber como eu elaboro um projeto de patrocinio como seria o que eu precisaria para anexar se precisaria de fotos documentos dos rally que fis no longo da minha carreira obrigado aguardo a sua resposta Rodrigo Toschi de são josé do rio preto


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: