Publicado por: Rafael Lopes Krukoski | agosto 15, 2011

Maratona Sertões 2011

Podia ser pior. Isso é o que podemos dizer do primeiro dia da Maratona. Nao sobrou muito para contar história.

Vale ler o que disse Sachs sobre o dia:

Fonte Webventure: aqui

6ª etapa (15 de junho)
Lizarda (TO) a Balsas (MA)
Deslocamento inicial: 1 km
Especial: 428 km
Deslocamento final: 7 km
Total: 436 km

“Segue a etapa de maratona, com os próprios pilotos fazendo a manutenção mínima em seus veículos antes da largada, que fica a um quilômetro do parque fechado. Neste dia há a especial mais longa do Rally dos Sertões de 2011. Especial completa, duríssima. Larga em trecho rápido de piçarra de 20 quilômetros, e depois segue por trechos mais travados e estreitos, com muita poeira, pó e de difícil ultrapassagem.

Depois, a prova segue em um trial pesado, de 60 ou 70 quilômetros de distância, até subir uma serra, já na divisa com o Maranhão. São áreas agrícolas, de muita areia, mas de alta velocidade e retas até voltar para trilhas menores (as chamadas descidas de vila, de brejo), ficando então o percurso travado até o final.

Na Fazenda Batavo, haverá um ponto de abastecimento para todas as categorias, já aos 220 quilômetros de especial. Talvez aqui haja o encerramento da especial para os caminhões, que fazem um deslocamento final por fora até Balsas (MA).”

Zanol chegou a 1 segundo do Despress! vamos aguardar a confirmação do resultado oficial.

A situação complica no dia … Foto abaixo tirada por José Mario Dias:

Motos que não terminaram
(15/08 – 18:23) Das 49 motos que largaram para a etapa de hoje, 11 não completaram o dia. São as dos pilotos: Horst Miklautz (49), Guto Klaumann (5), Ike Klaumann (9), Ivo Mayer (41), Norton Lopes (17), Luiz Fernando Zotelli (62), Marco do Carmo (37), Luiz Almeida (57), Arnaldo Fagundes (54), Julio Capua (46) e Thiago Peretti (29).
Daniel Costa/ Webventure

Hoje é dia de destaque para desconhecidos como o Sr. Marco A. Pereira, um dois 5 primeiros a terminar a especial. ficando somente 30 minutos atrás de Despress. Primeiro colocado da categoria production aberta em uma das mais difíceis etapas da história do Rally do Sertões.

Sertões mais difícil de Palmeirinha
(15/08 – 18:10) Com pouco mais de meia hora de desvantagem para o primeiro lugar entre os carros, Paulo Nobre, o Palmeirinha, fala sobre as dificuldades da prova até agora: “Esse ano a organização está de parabéns, fez uma etapa maratona de gente grande. Até agora está sendo o Rally dos Sertões mais difícil que eu já fiz. Todos os dias foram bem seletivos, duros e complicados. Estou fazendo o que posso, o resto fica nas mãos dos deuses do rali”, disse o piloto referindo-se à classificação geral do evento.
Andrei Spinassé/ Webventure

Nível de Dakar
(15/08 – 17:52) De acordo com Reinaldo Varela, que participou duas vezes do Dakar, a especial de hoje no Sertões não deixou nada a dever para o maior rali do mundo. “Tinha tudo, piso rápido, algumas retas, areia, pedra, cerrado, foi uma especial completa. Em 400 quilômetros foi possível ver de tudo. É esse nível de especial que tem que ter aqui no Sertões mesmo, nível de Dakar”, avaliou.
Andrei Spinassé/ Webventure

Edu Sachs não está poupando a turma.

Espero que o maior desafio de amanhã seja o longo deslocamento:

9° Dia (17/8 quarta-feira) Barra do Corda (MA) – Teresina (PI)
Deslocamento inicial – 9 km
Especial – 210 km
Deslocamento final – 321 km
Total: 540 km


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: